sexta-feira, 18 de julho de 2008

O mistério da beleza americana

Mais uma vez, após grandes análises...

Observei que existem muito pouco cabelo ruim por aqui. Não existem cabelos crespos, mas sim belíssimos cabelos ondulados e sedosos. Até mesmo as negras tem cabelos maravilhosos, de dar inveja.

Não vi ninguém com espinhas no rosto, ou pele oleosa, brilhando. A pessoa tem que se esforçar muito para ter uma pele feia por aqui.

Para responder a estes questões, lanço alumas possibilidades:

- ou a água daqui faz milagres (talvez tenha junto um pouquinho daquela poção mavavilhosa chamada formol - nossos cabelos agradecem);

- ou o clima daqui é muito bom (muito provável. Mesmo no verão a temperatura nunca chega ao insuportável - se comparada a algumas cidades brasileiras... E o tempo tende a ser seco - mais uma vez, nossos cabelos agradecem);

- ou as pessoas daqui gastam uma fortuna com produtos para a pele e perdem no mínimo 2 horas de sono para arrumar o cabelo antes de sair de casa;

- ou a genética daqui é muito boa (pouco provável também, porque aqui tem gente de todos os lugares do mundo);

- ou a alimentação daqui contribui para a saúde da pele e dos cabelos (absolutamente improvável).

E aí, o que vocês acham?

3 comentários:

Naigler disse...

Eu voto no clima e a genética...

[Posso votar em mais de um?!]

O clima, pelo clima, oras. Sem maiores explicações.

E a genética, pela ausência da miscigenação que temos no Brasil, que não propicia a verificação de características conflitantes e/ou paradoxais.

P.s. Adoro poder opinar sem qualquer respaldo científico. As teorias dos ignorantes, é sempre mais criativa.

Ok, ok. Talvez sem nexo. Mas... teorizar é tããão bom!!!

nano-portilla disse...

ok ok, darling.

o simples fato de vc estar nos EUA e ter acesso a tantos produtos bons a preços módicos já é uma vantagem.

o clima tbm... clima seco sempre melhora um cabelo.

agora, os negros terem cabelos lisos e encaracolados?! acho que vc tah morando no moinhos de vento de nova york.

Isabel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.